Notícias

07/06/2018

Dia nacional de paralisação tem manifestação no HUPAA

Ato público em defesa do Serviço Público de qualidade aconteceu na entrada do HUPAA
Ato público em defesa do Serviço Público de qualidade aconteceu na entrada do HUPAA

Neste dia 7 de junho, o Sintufal liderou paralisação do trabalho na Ufal, conforme decisão de sua base de técnico-administrativos, tomada em assembleia da categoria. Na oportunidade foi realizada uma manifestação, pela manhã, na entrada lateral do Hospital Universitário Professor Alberto Antunes (HUPAA).  A concentração contou com a presença de diversos servidores e panfletos foram distribuídos com a população. A todo momento, utilizando um carro de som, lideranças falavam da luta em defesa do Serviço Público.

A paralisação é nacional e os técnico-administrativos de diversas Universidades aproveitaram o momento para denunciar o descaso do governo golpista de Michel Temer com setor. Servidores estão na luta pela imediata abertura de negociações que não possuem, se quer, previsão de reajuste salarial. “Precisamos derrotar esse governo e sua política em favor dos bancos e multinacionais” explicavam as lideranças sindicais.

Caos nos Hospitais Universitários

O Sintufal aproveitou o dia, ainda, para denunciar a situação de precarização dos Hospitais Universitários, Mesmo com a criação da EBSERH (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares), durante o governo Dilma, que passou a ser responsável pela gerência dos Hospitais a situação segue alarmante. E hoje, em Brasília, acontece também uma audiência pública, no Congresso Nacional, sobre a EBSERH. Representantes dos técnicos de diversas instituições federais de ensino superior estão lá, justamente, para pedir a revogação da ESERBH. Inclusive uma representação de Alagoas participa.

O HUPAA tem um papel fundamental para Alagoas. Na formação de profissionais de saúde como na assistência pelo SUS. O HU é um patrimônio e precisa ser defendido por toda sociedade. O modelo de gestão aplicado pela EBSERH não nos serve. Precisamos manter o Hospital Universitário vinculado a Ufal e garantir que os trabalhadores da EBSERH tenham seus empregos preservados.