Notícias

07/12/2018

NOTA DE SOLIDARIEDADE

As entidades sindicais da educação pública do estado de Alagoas vêm, por meio desta nota, apresentar total e irrestrita solidariedade à Reitora da Universidade Federal de Alagoas (UFAL), professora Maria Valéria Costa Correia, vítima da COVARDE ESCALADA FASCISTA que assola o Brasil, desde o golpe que colocou na Presidência da República o Sr. Michel Temer, que conclui seu vergonhoso “mandato” atacando os direitos sociais e trabalhistas do povo brasileiro. O país entrará agora num período de incertezas e prováveis retrocessos trabalhistas e sociais ainda maiores, com a posse do Capitão do Exército Jair Bolsonaro, que demonstrou durante sua trajetória política ser defensor de ideias contrárias aos valores fundantes dos regimes democráticos ocidentais. Sendo uma das lideranças do movimento de reitores das Universidades e do Instituto Federal de Alagoas, que luta contra a implantação do absurdo projeto de lei “Escola Sem Partido”, criado pelas forças do atraso para amordaçar a conquista histórica da liberdade de cátedra em nome de fundamentos obscurantistas, a Profª Valéria Correia foi vítima de ataques nas redes sociais, que partiram de pessoas e grupos vinculados a instituições como o MBL - Movimento Brasil Livre e ligados a partidos como o PSL - Partido Social Liberal, do presidente eleito. Os covardes ataques são abertamente assumidos por indivíduos que se confessam apoiadores do presidente eleito Jair Bolsonaro, e que funcionam como “tropa-de-choque” avançada na escalada fascista que objetiva aniquilar todos os direitos históricos conquistados com muita luta pelos/as 

trabalhadores/as e povo brasileiro em geral, sejam eles trabalhistas, sociais, culturais etc. Repudiamos publicamente os ataques feitos à Profª Valéria Costa e amos para a necessidade, imediata e imperiosa, da união de todas as forças democráticas para lutar e combater essa “onda fascista” que vem assolando o nosso país nos últimos meses. Não podemos admitir que um/a profissional da educação - reitor/a, professor/a, aluno/a - possa receber ameaças por estar lutando em defesa da liberdade de cátedra, que é a liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o pensamento, a arte e o saber, e que tem como finalidade a garantia do pluralismo de ideias e concepções no ensino, especialmente o universitário. É preciso que defendamos o pensamento crítico em todos os espaços educativos e, no caso específico, no âmbito das universidades. Não vamos tolerar este e qualquer outro tipo de ameaça intimidadora aos trabalhadores e trabalhadoras do saber e à democracia, sob pena dessas intimidações se transformarem, logo à frente, em agressões físicas no espaço acadêmico. Pelo exposto, neste episódio, reiteramos nosso total APOIO e SOLIDARIEDADE à Reitora da UFAL. Sua luta contra o fascismo e o obscurantismo é a nossa luta!

Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Alagoas (SINTEAL)

Associação dos Docentes da Universidade Federal de Alagoas (ADUFAL)

Sindicato dos Trabalhadores da Universidade Federal de Alagoas (SINTUFAL)

Maceió, 07 de dezembro de 2018.